Arquivo de maio de 2012

Noivas: com ou sem chuva de arroz!

31/mai/2012 por Gabriela Lenzi em Gabriela Lenzi, Noivas - 1 Comentário

Ao assistir o vídeo de casamento dos pais de meu amigo Gabriele Gentili, com o qual fui presenteada e tenho a honra de apresentar-lhes como o vídeo Noivas de Gabriela Lenzi, meu pensamento voou em direção ao mundo das noivas, de ontem, do hoje e do amanhã.  O que esperam as noivas?

Minha Nonna é casada há  58 anos. Gosto de ouvi-la contando da época do namoro, do noivado, do dia do casamento e do dia após o casamento.  Gosto de ouvir, porque acredito que nem mesmo ela tem noção do quão puro e genuíno possa ter sido este momento. Gosto de saber como foi feito seu vestido, onde compraram o tecido e qual a dificuldade para isso, quem costurou, onde conseguiram o adorno de cabeça… Com certeza a indumentária era simples, mas quando ela conta sobre os detalhes do seu vestido de noiva e dos adornos, os seus olhos ainda brilham. Quando a questionei sobre o que esperava ela do casamento, a resposta não poderia ser mais bonita: – “Eu sofri muito nos primeiros tempos, penso até hoje que poderia ter voltado a casa dos meus pais…”    - “e por que não voltou?” Indaguei já com uma pista da resposta.  –“Porque eu o amava, só por amor, só por isso.”  Só por amor.

E as noivas de hoje? Nós mulheres do agora, independentes, fortes, determinadas, objetivas, provedoras, nem precisaríamos mais nos casar e seriamos felizes… Será? Em parte sim, pelo menos foi nisso que acreditei até pouco tempo, mas como nenhuma certeza é saudável, resolvi sem muita intromissão, analisar o que as amigas contavam, o que estranhas comentavam e principalmente observar as redes sociais de garotas solteiras e também das comprometidas. O fato é que por mais ‘duronas’ que possamos parecer, nossos corações se derretem feito manteiga quando fotos de casamento aparecem no feed de notícias do Facebook. Percebo pelas amigas solteiras, que desejam não só um casamento, mas muito mais uma relação que sirva para complementar e contribuir com a sua felicidade. Eu diria que devido nossa exigência e por nos sentirmos já completas, encontrar alguém que valha a pena dividir a cama e a pia do banheiro se torna cada dia mais complexo, mas não menos desejado. Falo das mulheres de forma específica, pois nascemos noivas. Levante o dedo quem nunca brincou ou sonhou com o dia do casamento? Por mais diferente que possa ser o seu sonho ele existiu: “ah, quero me casar de vestido curto e vermelho” ou “ gostaria de uma cerimônia simples no campo” ou “desejo um vestido amplo, branco, cheio de tules e cetim”. Entendeu? É  disso que estou falando.

Como ainda não conhecemos as noivas que virão, me atrevo a dizer que elas desejarão o mesmo que nós e o mesmo que nossas avós e mães desejaram: Amar e serem amadas! Quanto ao vestido, as casquetes, os adornos, o buquet, o bolo, os convites, os bem casados, as flores (ufa, quanta coisa)… Tudo isso é importante sim, pois cria o cenário perfeito para o dia em que você sonha desde que era pequena e  adorna o momento em que você está em festa por ter encontrado a pessoa certa. No entanto, cada um encontra beleza e felicidade de maneiras diferentes, o importante é encontrá-la e não ter medo de vive-la, com ou sem chuva de arroz.

Novo site Gabriela Lenzi!

28/mai/2012 por Gabriela Lenzi em Gabriela Lenzi - 16 Comentários

Quando terminei a faculdade em moda no Brasil, tinha certeza de uma coisa: queria me jogar! Me lançar a um país desconhecido, sozinha, sem conhecer ninguém, para mergulhar nas personalidades, nos humanos, nas artes e quanto isso tudo pode alterar um gosto, uma forma de pensar, de falar, de acreditar… Na época não sabia ao certo, tudo era confuso, mas uma forte atração, como aquela da Sereia Iara, me puxava para o fundo das águas… E eu? Não fiz questão nenhuma de me segurar.

Me joguei, aprendi, amei, acreditei, desacreditei, aproveitei, me cansei, descansei, briguei, chorei, gargalhei, sorri, conheci…. Vivi! Descobri que não existe uma maneira de atalho na vida, que você pode até ouvir os outros e segui-los, mas só saberá o que é um ‘porre’ de vinho depois de fazer um!

No ano de 2009, retornei a Blumenau e nem tudo foi como eu acreditava que seria. Além do mais, como não poderia me adaptar ao meu lugar de origem? Até hoje não sei como, mas sofri essa readaptação na carne. Desse momento de ‘aprendizado’ começaram a nascer desenhos e mais desenhos, mesmo porque nesse ‘lugar’ (dos desenhos) eu me reconhecia. E dos desenhos e mais desenhos, começaram a surgir peças e mais peças, e das peças, fotografias e mais fotografias (fotografias feitas pelo querido Ruan Rosa) e dessas fotografias brotou um e-mail lindo, de uma loja de Florença para que eu vendesse minhas criaturas ali. As peças me possibilitaram voltar e continuar mergulhando no mundo, que aprendi ser minha casa. Graças a elas hoje não paro mais.

Muito amadora, não que ainda não o seja (ainda bem!), comecei a pensar em tudo o que deveria fazer para que a marca parecesse mais profissional, mais marca mesmo…. Etiquetas, tags, embalagens, postais para colocar na loja, cartões de visita, um e-mail condizente…. E um blog, onde a pessoas pudessem me encontrar facilmente, conversar comigo e saber mais sobre as peças e a marca. No dia 29 de maio de 2009, em uma tarde de muito calor, juntamente com auxílio on line de Fábio Ricardo (obrigada Fábio Ricardo!), criamos o blog que nos acompanha até hoje.

Conto essa história, pois exatamente hoje completamos 3 anos de vida do blog da Gabriela Lenzi. Desde lá as coisas mudaram, um pouquinho, pois eu continuo com amigos e parceiros incríveis que fazem a marca existir e ser forte. Quer saber outra coisa que aprendi? Que você não consegue fazer nada sem a ajuda das outras pessoas, que você sempre e para sempre vai precisar delas e que isso é magicamente necessário e que isso faz você ser quem é.

Hoje é com muito prazer, que apresento a vocês caríssimos amigos, o site da Gabriela Lenzi! Como tudo aqui, foi feito com amor, massa cinzenta e alma. Levamos um bom tempo, aprendemos juntos várias ferramentas, formas de seguir, como organizar… Nossa intenção era deixar o site intimista, diferente e divertido, para que você se sinta em casa! Então a casa é sua! Curta! Desfrute! Interaja!

As Jóias que tenho comigo são preciosas, raras e merecem ser citadas:

Andrei Voss Chagas, Diego Barbetta e Diogo Gazaniga. Esses meninos doaram noites de sono e momentos com as famílias (família gato do Andrei, sempre presente: Mia, Maike e Vince) por estarem trabalhando neste site. Realizaram-no paralelamente aos respectivos trabalhos e deram o melhor que havia dentro deles!

E voilà, espero que gostem!

PS: Ah, mais uma coisa: Meninos! Obrigada!